Saúde destina R$ 4,7 milhões para o teste do pezinho no Rio Grande do Sul

SEJA O PRIMEIRO A COMPARTILHAR ISSO >

Facebook
WhatsApp

O governo do RS, por meio da SES (Secretaria Estadual da Saúde), destina nesta semana a primeira parcela do recurso financeiro estadual, no valor de R$ 389 mil, para a manutenção e acesso à triagem neonatal realizada pelo HMPV (Hospital Materno Infantil Presidente Vargas), em Porto Alegre. A triagem neonatal é conhecida como teste do pezinho, exame capaz de detectar sete doenças em recém-nascidos.

Esta parcela faz parte de um total de R$ 4,7 milhões anuais que está previsto para o serviço, conforme Portaria SES 420/2024. Trata-se de uma contrapartida que será repassada do Fundo Estadual de Saúde para o Fundo Municipal da Saúde da prefeitura de Porto Alegre. A medida abrange todos os bebês nascidos no Rio Grande do Sul. O serviço de triagem neonatal do Hospital Presidente Vargas é referência pelo SUS (Sistema Único de Saúde) para todo o Rio Grande do Sul.

Sobre o teste do pezinho

O teste do pezinho deve ser realizado na Unidade Básica de Saúde mais próxima da residência da família. O teste deve ser realizado entre o 3º e o 5º dia de vida. Se, por algum motivo, o exame não puder ser realizado no período recomendado, deve ser feito em até 30 dias após o nascimento. Se o resultado der alterado, é necessário fazer o teste confirmatório e iniciar o tratamento o mais breve possível, nos casos em que há indicação.

Realizado pelo SUS, ele detecta sete doenças: toxoplasmose congênita, fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme, fibrose cística, hiperplasia adrenal congênita e deficiência de biotinidase. Algumas dessas doenças não apresentam sintomas ao nascimento e, se não forem tratadas precocemente, podem causar danos graves e irreversíveis à saúde da criança.

SEJA O PRIMEIRO A COMPARTILHAR ISSO >

Facebook
WhatsApp